Presidente do Sistema Fecomércio-DF e diretor do Sesc visitam galpão com as doações para Minas Gerais

Foi realizada na manhã desta quinta-feira (13) uma visita ao galpão do Mesa Brasil Sesc no DF, localizado no SIA, onde estão armazenadas todas as doações para as vítimas das chuvas de Minas Gerais. O presidente do Sistema Fecomércio-DF, Francisco Maia, o diretor regional do Sesc-DF, Marco Tulio Chaparro, e a diretora de Programas Sociais do Sesc-DF, Nina Fontes, participaram do encontro. Durante toda campanha foram arrecadadas 9 toneladas de alimentos e quase 50 mil peças de vestuário e utensílios.

Na opinião de Francisco Maia, a instituição conseguiu cumprir mais um objetivo importante. “Isso mostra o poder de mobilização do Sesc e a sensibilidade da sociedade do Distrito Federal. A experiência do Mesa Brasil colaborou nessa ação e a sociedade de Brasília entendeu o nosso chamamento. Portanto, o Sesc realmente é muito exitoso nesse trabalho com o Mesa Brasil e essa ação vem a concretizar tudo aquilo que são os nossos objetivos. Estão de parabéns a equipe que trabalhou nesses dias e também a sociedade que ajudou”, disse.

O diretor regional do Sesc-DF, Marco Tulio Chaparro, destacou que em pouco tempo foi possível arrecadar uma grande quantidade de mantimentos.  “O Sesc e o Mesa Brasil conseguiram cumprir o seu papel social e fizeram uma arrecadação em tempo recorde de dez dias. Tudo que vemos hoje vai ajudar os desabrigados e desalojados das chuvas que acometeram Minas Gerais. A cidade inteira auxiliou, os veículos de comunicação também ajudaram bastante o Sesc nessa campanha. É um prazer poder participar de ações como essa do Sesc no Distrito Federal”, declarou.

A campanha Todos Juntos por Minas Gerais começou no dia 31 de janeiro e seguiu até o dia 9 de fevereiro. A ação contou com apoio da Globo e ajuda dos seguintes doadores: Confederação Nacional do Comércio, Fecomércio-DF, Tribunal de Contas da União, Big Box, Bounduelle, Supermercado Veneza, R2 Produções (Viva 2020), clientes das unidades do Sesc-DF e empregados do Sesc-DF. O trabalho dos voluntários também foi fundamental por meio das instituições: Cooperativa Sonho de Liberdade, Comunidade Esperança, Casa de Recuperação Mar Vermelho e Centro de Recuperação Filho Pródigo.