Sesc e Senac-DF doam mais 30 mil máscaras de tecido para a Defesa Civil

O Sesc e o Senac-DF entregaram, na manhã de segunda-feira (27), à Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil do Distrito Federal, o segundo lote de máscaras de tecido, com 30 mil unidades, para distribuição à população em situação de vulnerabilidade social. A doação faz parte do compromisso das duas instituições, que integram o Sistema Fecomércio-DF, de ajudar no combate ao novo coronavírus. Ao todo serão doadas ao governo do Distrito Federal, por meio dessa parceria entre Sesc e Senac, 100 mil máscaras que estão sendo confeccionadas nas instalações do Senac com material doado pelo Sesc. O primeiro lote foi entregue em 30 de junho, totalizando a doação de 60 mil máscaras. As demais serão entregues no decorrer do mês de agosto. A produção está sendo feita por instrutores dos cursos de Costureiro do Senac-DF e voluntários nas unidades de Sobradinho, Setor Comercial Sul (Jessé Freire), Taguatinga, Ceilândia, Gama e Ações Móveis.

“Estamos doando ao governo do Distrito Federal mais uma parte da nossa contribuição para combater a disseminação do novo coronavírus. Essas doações mostram que o trabalho social realizado pelo Sesc e Senac é de suma importância nesse momento de crise que atingiu todos nós”, destaca o presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia. “Para amenizar os efeitos dessa pandemia, temos realizado também, por meio do Sesc e do Senac, outras ações como doação de alimentos, aulas on line gratuitas, venda de marmitas a preço popular, realização de testes de COVID-19 para os comerciários e lives com profissionais sobre diversos temas voltados para a nova realidade que vivemos. O Senac também confeccionou e doou 24 mil máscaras cirúrgicas para a Secretaria de Saúde do DF”, lembra o presidente Francisco Maia.

A assessora da Direção Regional do Senac-DF, Cíntia Gontijo de Rezende, que representou as instituições na entrega do segundo lote de máscaras, destaca que até 20 de agosto serão entregues as máscaras que faltam para completar as 100 mil. “Acredito que em dez dias a gente entregará 20 mil e dez dias depois entregaremos as 20 mil restantes”, explica. “A pedido do nosso presidente estamos confeccionando essas 100 mil máscaras com o intuito de ajudar aquelas pessoas mais carentes que não têm condições de adquirir. As máscaras estão sendo entregues à Defesa Civil que tem o controle das pessoas onde estão levando alimentos e outras doações”, afirma Cintia Gontijo.

O uso de máscaras pela população do Distrito Federal se tornou obrigatório por meio do Decreto n° 40.648 de 23 de abril de 2020, publicado em edição extraordinária do Diário Oficial do Distrito Federal. A determinação começou a valer em 30 de abril em todos espaços e vias públicas, transporte público coletivo e estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços. A entrada e permanência de pessoas sem a máscara é proibida pelos estabelecimentos. A não utilização de máscaras nos locais determinados acarreta ao infrator penas previstas na lei. Entre as penalidades está multa a partir de R$ 2 mil.

Distribuição

Segundo o GDF, a distribuição das máscaras é feita de acordo com a evolução dos casos nas regiões administrativas, em locais de grande circulação, entre outros. O trabalho é coordenado pela Secretaria de Governo em parceria de diversos órgãos e secretarias que se reúnem no Centro Integrado de Operações de Brasília (CIOB), dentro da Secretaria de Segurança Pública, de onde saem parte das diretrizes e decisões, sempre embasadas nos dados epidemiológicos fornecidos pela Secretaria de Saúde.

A distribuição das máscaras começou pelos terminais rodoviários e no Metrô. Depois foram contemplados, em maio, o Sistema Penitenciário; as forças de segurança (Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil); Rodoviária do Plano Piloto e demais terminais rodoviários; Detran; as 33 Regiões Administrativas; e as secretarias de Cidades, Governo, Obras, Economia, Educação, Saúde e DF Legal. Em junho, a doação ganhou reforço no Brasília Ambiental, Novacap, Secretaria de Esporte e Lazer e de Justiça e Cidadania, e no Serviço de Limpeza Urbana (SLU). Cada órgão e secretaria repassa o item de acordo com a necessidade. Em cada cidade, o administrador encaminha o item de proteção facial para os locais de maior necessidade e aglomeração. É também nas regiões administrativas que têm predominado um olhar social com a entrega do acessório em locais de maior vulnerabilidade.