Sesc oferece curso de formação para mediadores de crianças leitoras

A formação de leitores representa um dos grandes desafios da educação brasileira. De acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, desenvolvida pelo Instituto Pró-Livro, a média de leitura por habitante ainda é considerada baixa: são cerca de 3 livros por ano. Diante desse contexto, o Sesc-DF receberá no dia 26 de outubro, na unidade da 504 Sul, das 9h às 12h, a educadora Cristiane Salles Moreira dos Santos, especialista em literatura infanto-juvenil e servidora aposentada da rede pública do Distrito Federal para ministrar o curso “Formação para mediadores de crianças leitoras”. A inscrição é gratuita mediante a doação de 1kg de alimento não-perecível e basta enviar um e-mail para: biblioteca504sul@sescdf.com.br.

A ideia é apresentar para pais, avós, tios e professores alguns títulos clássicos da literatura infanto-juvenil e sugerir as obras adequadas para cada idade. Segundo a educadora, saber fazer boas indicações é fundamental para formar futuros leitores. É muito importante levar em consideração o projeto gráfico, o texto, as ilustrações, as relações entre texto e imagem, além de pensar quais os efeitos e sensações a leitura pode causar no leitor. “No curso, apresento um cardápio de possibilidades para os participantes e oriento a melhor maneira de mediar. A mediação começa quando ele define a obra e se prepara para ler. Nesse momento, os cuidados para a escolha do livro e seu estudo são essenciais. Dessa forma, o mediador poderá atuar com propriedade sobre a obra e conectar-se de fato com a criança”, analisa Cristiane.

A bibliotecária do Sesc, Fabrícia da Silva Costa, aposta na efetividade do curso e acredita que a mediação vai além da leitura do livro. A proposta é estimular também o diálogo entre o mediador e a criança sobre a obra que acaba de ser lida. “Ao percebermos que o leitor despertou o interesse sobre determinado trecho, comentou sobre a ilustração impressa em uma página e expressou o que sentiu com a leitura podemos avaliar que estamos cumprindo bem a nossa função como mediador. E é exatamente essa a ideia do Sesc-DF: contribuir  na construção de leitores”, finaliza a bibliotecária.

Com colaboração de Luciane Zorzin